Estado de Possessão: notas para uma estética da tortura


Cris Ambrosio e Deyson Gilbert (org.)


 Visitação
19 de novembro 2021 até 12 fevereiro 2022
quarta a sexta, 13h às 19h
sábados 11h às 19h

entrada gratuita

não é preciso agendar a visita previamente

travessa dona paula, 120
são paulo - sp





para uma definição do conceito de possessão:

Em sentido estrito, drama ideológico instaurado no campo das consciências pelo conflito de duas ou mais entidades a conclamar, a um só instante, posse de um mesmo semblante. Em forma dilatada, categoria encruzilhada: trajeto espiritual dos seres esquartejados pelas lâminas histórico-políticas dos territórios, corpos e símbolos (demonologia dos pesos, dos passes e das posses). Em punção direta: desencontro e conciliação fraturada entre o plano das imagens, das coisas e das inclinações. Em suma: o exorcismo dos olhos contra o suor das mãos e a saliva dos cus.


Possessão

1. Ato ou efeito de possuir ou de ser possuído / ato ou efeito de ter (algo) para si, de dispor de (qualquer coisa) e dela poder tirar proveito e prazer, posse.

2. Ato ou efeito de ter ou de tomar algo sob controle; posse de territórios conquistados.

3. Algo que se possui, ocupa ou controla a coisa possuída. 3.1 região, território, país sob a dominação colonial de um Estado; colônia, domínio.

4. Condição ou estado de quem está dominado por algo (por exemplo uma paixão, um projeto, uma obsessão).

5. Assunção (ascensão a posição hierárquica ou honorífica superior) de ou manifestação (de um ser espiritual) no corpo e/ou no espírito de uma pessoa. 5.1.Condição ou ou estado de quem se sente habitado e manejado por um ente sobrenatural.

USO: o emprego da palavra possessão no sentido de região sob dominação colonial foi modernamente suplantado por outras denominações ligadas a novos tipos de relações político-econômicas entre os Estados dominantes e regiões sob a autoridade e proteção.

ETIM (latim) possessio,onis |possessão, posse, gozo, propriedade|

para uma breve história da arte:

primeiro, na planície do gesto, a ordem do punho: o mundo da mão, do trabalho e da dor. Depois, no abismo do plano, a ordem distante do olho: o mundo da imagem, do cálculo e do eco. Por último, no império do couro e das redes, a ordem da saliva, do hálito e do código: o mundo da boca, do contrato e do dígito.

Ad Reinhardt
André Le Blanc
Alessandro Costa
Alphonse Laurencic
Antonio Dias
Ben Vautier
Carlos Leppe
Cildo Meireles
Clara Ianni
Clemente Padín
Dennis Oppenheim
Décio Pignatari
Eliphas Levi
Giulio Paolini
Glauco Mattoso
Gustave Doré
Hito Steyerl
Iman Issa
Iole de Freitas
João Cabral de Melo Neto

Kathleen Haven
Leo Correa
Ludwig Wittgenstein
Lygia Clark
Marcel Broodthaers
Marcel Duchamp
Millôr Fernandes
Monique Wittig
Neide Dias de Sá
Nikolai Andreiev
Reinaldo Moraes
Robert Barry
Sarah Rapson
Stanislas de Guaita
Stanley Brouwn
Teresinka Pereira
Timm Ulrichs
Tony Cokes
Vito Acconci
Wlademir Dias-Pino












Fotos por Ding Musa